Tá safo no Google Community Summit 2014 – parte 2

Este artigo retrata tudo que rolou no segundo dia do “encontrão” das comunidades no Google.  O Community Summit 2014 ocorreu nos dias 20 e 21 de novembro.  Se você ainda não viu, leia aqui também o relato do primeiro dia.

Sem mais delongas, vamos lá.

2014-11-21 09.42.52

Após um café-da-manhã, logo Alê Borba, junto com Neto Marin, Luciano Palma e José Papo apresentaram de forma breve a agenda, dando início às palestras do dia.

GDG Women

O dia começou com Natascha Hun, contando a experiência do GDG Sorocaba, e como com o nível de engajamento da comunidade local logo permitiu-lhes dar ao grupo o perfil para incentivo à participação feminina em atividades voltadas à tecnologia e empreendedorismo.

Natascha relembrou a origem da programação de computadores com Ada Lovelace, e os tempos em que a computação era primordialmente uma área de atuação feminina. Tanto é que nos primórdios, o termo “computador” não se referia à máquina, mas sim à função da pessoa que realizava as tarefas de cálculos e operações matemáticas, na sua grande maioria, mulheres. Aliás, em espanhol o termo feminino para se referir à máquina se mantém no feminino (“la computadora“) como resquício disto.

Natascha Sava Hun

Natascha falando sobre mulheres na computação

Nos eventos promovidos e focados no público feminino em qualquer lugar são destaques a atenção e o cuidado com os detalhes, o capricho com as coisas que fazem a diferença.  Natascha também apontou isto ao expor alguns dos eventos dos grupos GDG Women ao redor do mundo.

Questões de direito

Na sequência, a advogada do Gogle [carece de fontes?] veio meio que de improviso para bater um papo bastante informativo e descontraído sobre questões de direito que promotores de eventos e empreendedores sempre vão se deparar e devem saber.

Questões como contratos verbais e não-verbais, responsabilidades civis, uso de marcas, acordos de confidencialidade, prestação de serviços, propriedade de código e software livre, tipos societários para startups, registro de microempreendedor individual e vários assuntos correlatos.

Coisas que podem ser muito legais ou muito chatas (nas palavras da própria advogada) mas que foram expostas e discutidas de maneira leve e divertida.

Um bate-papo sobre questões de direito

Um bate-papo sobre questões de direito

Desconferência

Após uma pausa para o cafezinho,  organizou-se uma breve desconferência com temas livres em que todos foram convidados a compartilhar os problemas e dificuldades que têm tido, visando-se a discussão e a busca de eventuais soluções.  O consenso geral é de que muitos problemas comuns dos GDGs/GBGs podem ter solução também comum.

É tudo improviso!

Imagine que você está para começar sua palestra para um auditório lotado de pessoas com autoridades na primeira fila e assim que você entra no palco… PUFFF!  A lâmpada do projetor queima e os slides da sua apresentação não aparecem.

Para falar sobre como lidar com esse tipo de situação, a surpresa da tarde foi o comediante, ator e apresentador de tevê, Márcio Ballas.

Márcio falou um pouco de sua história de vida, com destaque para sua atuação junto à organização Palhaços Sem Fronteiras.

E em quase duas horas de muitas dinâmicas e brincadeiras, apresentou como ser mais criativo (sim, é possível) e como lidar com situações inusitadas por meio de técnicas de improviso aliadas, é claro, ao bom humor.

Márcio Ballas

Márcio Ballas: improviso e criatividade

A forma como você lida com o erro pode ser o momento da apresentação que todo mundo vai lembrar da lembrar. (Ballas, Márcio)

Por fim, apresentou algumas dicas de como abordar o público e tentar quebrar o gelo de forma a incentivar as pessoas à interagir e participar. Muito útil em vários contextos de vários como, por exemplo coding dojos, solicitação de voluntários numa plateia e etc.

Melancia! (Ballas, Márcio)

Fazer é fácil, escrever também pode ser

Para fechar o dia, o jornalista Rafael, assessor de imprensa do Google com passagens por grandes veículos de comunicação, veio conversar sobre como fazer boas coberturas de eventos.  Como fazer registros do evento em blogs, por exemplo, pode exigir adequação de texto diferente do que seria feito em sites de notícias, na mídia impresa e televisiva, nas redes sociais, em relatórios técnicos, etc.

Rafael relembrou os objetivos da comunicação, adequação textual, dosagem certa para uso de fotos e vídeos, cuidado obrigatório com a correção da língua portuguesa além de várias outras dicas.

Dicas sobre como relatar eventos

Dicas sobre como relatar eventos

Tudo que tem um começo tem um fim

Fechando o evento, Alê Borba e Neto Marin fizeram um apanhado de tudo o que foi apresentado nos dois intensos dias do Summit.  Também deram orientações e dicas em geral sobre o relacionamento mútuo dos grupos de usuários com o Google e apresentaram também as perspectivas para o futuro.  Se fosse possível resumir tudo numa única orientação, acho que seria: Aja!  Atue!  Faça!  Engaje-se!  Comunique-se!  E mostre seus resultados com ética, correção e entusiasmo!  Todo mundo só tem a ganhar.

Foto de encerramento do evento

Aêêê…

Este foi o resumo do Google Community Summit 2014.  Até o ano que vem!

Anúncios

O que tu achas?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s