O fracasso da Seleção Brasileira sob a ótica de métodos ágeis

Neste último sábado, o Chile bateu a Argentina nos pênaltis (chupa, Messi!) e conquistou o título da Copa América em casa.  Mas gostaríamos de falar um pouco sobre outro jogo também decidido nos pênaltis e em que a Seleção Brasileira foi eliminada da competição, e tentar fazer uma análise do que aconteceu desde então.

Jogadores da Seleção após derrota nos pênaltis para o Paraguai

As práticas ágeis na sua equipe poderiam ser aplicadas na Seleção? (Foto: Leo Correa/Mowa Press, em Carta Capital)

Claro que aqui não somos comentaristas esportivos nem temos a pretensão de ser.  Mas, usando um termo comum do jargão da área de tecnologia, é certo que vários de nós somos stakeholders do futebol brasileiro e, como quase todo brasileiro, também temos o direito de dar pitaco no que tem acontecido com nosso futebol, especialmente últimos anos.

Ainda que não sejamos especialistas em futebol, tal como os atuais jogadores da Seleção, muitos de nós já participamos de projetos que foram sucesso e que já fracassaram.  E como todos desenvolvedores com alguma experiência participando de retrospectivas, podemos ter algumas opiniões formadas ao longo do tempo sobre coisas que funcionam e coisas que não funcionam em nossas equipes.

E é sob essa ótica que queremos analisar os erros que muitos especialistas comentam que têm ocorrido no futebol brasileiro, às vésperas do aniversário do fatídico 7 a 1.  Vamos lá!? Continuar lendo

Anúncios

Tá safo em ação com Vinícius Teles

Patrícia e Vinícius Casal Partiu

Quem um dia irá dizer
Que existe razão
Nas coisas feitas pelo coração?
E quem irá dizer
Que não existe razão?

O sorriso do rapaz à direita é de uma pessoa que já passou por alguns “perrengues” na área de TI, chegando à conclusão de que todo o projeto de desenvolvimento de software que ele participava, acabava dando “zica”. Mas não conformado com a situação, começou a pesquisar formas sustentáveis de desenvolver software. E não é que ele encontrou uma tal de Programação Extrema, que de nome dá até medo nos mais céticos da área. Só que ele não apenas conheceu um dos pais da criança como defendeu sua tese de mestrado, implementou as boas práticas de Engenharia de Software em sua empresa, virou consultor, palestrante e escreveu um livro sobre o assunto.

Vinícius abriu os olhos, mas não quis mais programar
Ficou deitado e viu que horas eram
Enquanto Paty se estressava no seu trampo
No outro canto da cidade, como eles disseram

Um dos precursores na divulgação da XP no Brasil, Vinícius Teles fala com propriedade sobre o assunto e, de uma maneira tão informal que se aproxima de apresentações à lá stand up comedy. Você que é desenvolvedor, ou mesmo gestor, de software e que ainda não conhece sobre o assunto, deve dar uma pesquisada, pois já é bem antigo mas continua sempre atual (como algumas letras de música) e bastante utilizado para manter a qualidade de um produto de software e a sanidade de uma equipe.

Vinícius e Paty um dia se encontraram sem querer
E conversaram muito mesmo pra tentar empreender
Um carinha do trabalho do Vinícius que disse
“Tem uma ideia legal, fotografar e se divertir”

Mas depois de tanto carregar “baldes de água” por aí, Vinícius Teles e Patrícia Figueira encontraram a fórmula do sucesso, fazer o que gosta. Vinícius, programador que é, solucionou um problema para a Patrícia, que havia chutado o balde, saído do emprego e decidiu fotografar casamentos, mas que ainda não tinha um site legal para exibir seus trabalhos. Hoje, o Be on the Net é um produto que deu certo e que ajudou o casal a partir por esse mundão sem porteira.

Pois bem, pessoal. Eles partiram de algum canto do mundo passando, à trabalho, por Belém do Pará nessa semana. Ano passado, eles passaram rapidamente por aqui e só deu tempo de fazer uma #horaextra que deixou vontade de quero mais. Agora com um pouco mais de tempo por aqui, Vinícius preparou uma palestra para a comunidade e estará nesta quinta-feira no auditório do CESUPA da Av. Nazaré, nº 630, entre Rui Barbosa e Quintino Bocaiúva, às 19hs, com entrada franca, para falar um pouco sobre tecnologia, empreendedorismo, comunidades de TI, viagens e muito etc.

Obrigado, Legião Urbana.

E quem um dia irá dizer
Que existe razão
Nas coisas feitas pelo coração?
E quem irá dizer
Que não existe razão?

Tá safo em ação – 2ª Edição Castanhal

É com muito prazer que o Tá safo! está escrevendo mais um post, pois este vai fechar com “chave de ouro” o ano de 2011 que foi um ano intenso de palestras com a comunidade muita ativa, calorosa e receptiva. Organizado, mais uma vez, pelos alunos e professores da Faculdade de Sistemas de Informação da UFPA Campus Castanhal, a 2ª Edição foi um sucesso com um público considerável, onde estampava no peito de diversas pessoas a vontade de fazer parte dessa comunidade, vestindo camisas que divulgavam o evento, isso nas vésperas do final de ano.

O dia foi cheio de verdadeiras “atrações” contando com um mix de palestras: Luiz Sanches, Paulo Moura, Ramon Rabello, Geraldo Sequeira e também houve a participação dos alunos nas sessões de palestras-relâmpago (Lightning Talks) com exceção do Erysson Barros que falaremos mais dele nos outros tópicos; na prática foi visto o Coding Dojo com desafios em Java e Aplicações Android, assim como a surpresa que os alunos fizeram para a Profª Yomara para o seu aniversário.

Para abrir o evento Continuar lendo

Agilidade em Série – XP – Refactoring

Aconselhamos aos menores de 18 anos a não abrirem o conteúdo deste episódio, pois é considerado o mais sanguinário da série. Paulo Moura volta mais uma vez, agora falando sobre Refactoring. Paulo, valeu o esforço e dedicação!

Repetimos. Se você tem problema cardíaco, de pressão, enjoo, asmático, bexiga frouxa, desinteria, prisão de ventre ou quando vê o próprio sangue desmaia. Não prossiga, nós avisamos!

Queremos agradecer ao nosso fiel escudeiro Jaime Schettini, que lá de Florianópolis vem nos ajudando na revisão final dos episódios. Sempre com críticas construtivas que agregam e muito a cada artigo. Esse cara é mais um #tasafoemacao de “longe”. Obrigado Jaiminho!

Costumamos brincar, mas os artigos estão cada vez mais com um alto nível técnico. Na verdade, era pra ser um simples pasquim, mas os caras estão estudando pra fazer os artigos. Olha no que dá :). Esperamos mais uma vez que gostem.

Taí um trabalho, de graça, que dá prazer em fazer. Como o Fábio Aguiar costuma dizer: “Não tem preço, tem valor”.

E eu queria mandar um beijo pra minha mãe, pro meu pai e pra você :p

Link do Slideshare