Troca de experiências #TáSafoEmAção e TecnoTalks

No final de junho, durante o AgileBrazil, tive a oportunidade de assistir a interessante relato de experiência de Rafael Prickladinicki e Jorge Audy sobre os TecnoTalks, espécies de mini-eventos com foco específico e promovidos com frequência (soou familiar?) sob iniciativa original do público da TecnoPUC.

Na palestra, entre outras coisas, Jorge e Rafael mostraram seus pontos de vista de como foi a evolução dos TecnoTalks.  Falaram, por exemplo, da inquietação que sentiam quando para os eventos ao longo do tempo participavam sempre as mesmas pessoas, algo que sempre foi uma de nossas principais preocupações.

Continuar lendo

Anúncios

“Você é responsável pelo software que desenvolve”

A primeira vista você pode pensar que esta frase seja muito óbvia. É claro, afinal de quem mais será a culpa quem mais pode ser responsável pelo software que está sendo desenvolvido senão a própria equipe que o desenvolve?

Apesar de parecer óbvia, se visualizarmos as coisas no desenvolvimento de software (dito “tradicional”) por um dado ponto de vista, podemos ver que muitas vezes nem tudo acaba funcionando assim.  Ao contrário disso.

Se prestarmos atenção, no processo de desenvolvimento “tradicional” (esquema de fábrica de software de empresas 1.0) podemos ver que a cada momento os papeis responsáveis pelo software em cada momento buscam se cercar de todos os meios e se livrar da responsabilidade do software.

SFases do ciclo de desenvolvimento em cscatae não, ou vejamos. Tudo começa com um cliente que tem uma necessidade ou enxerga uma oportunidade.  Isto pode ser uma ideia, um projeto, um desejo.  O cliente tem dinheiro e quer fazer aquilo acontecer, o que ele faz?  Transfere a responsabilidade pela sua ideia, seu projeto, seu desejo –na  verdade, seu futuro software– para uma equipe de desenvolvimento.  Um contrato inicial, um prazo estipulado e… “Ufa, a bola agora já não está comigo. Estou pagando e ao final do prazo já tenho de quem cobrar resultados”.  Com isto, o cliente livra-se da responsabilidade sobre o software para a equipe.

Continuar lendo