Caso Cinbesa – Implantação de Ágil em Empresas Públicas

Oi pessoal,

Eu sou Domingos Santos. Trabalho na Cinbesa, desenvolvendo e gerenciando projetos de software desde 2001. A Cinbesa é a empresa de TI da prefeitura de Belém. Pequena, menor até que muitos setores de TI de outros órgãos do governo federal ou estadual.

Por sermos pequenos precisamos a todo momento provar para a administração municipal que somos capazes porque a prefeitura carece de soluções robustas. Por isso, começamos a praticar desenvolvimento ágil em 2012 como maneira de responder os anseios do nosso cliente principal e gostaria de compartilhar com vocês a nossa experiência.

Tudo começou com um curso de Scrum Master que Alexandre Magno veio ministrar em Belém em meados de 2009. Participamos do curso mas não conseguimos colocar em prática. Porém, a semente foi plantada.

Leituras esporádicas sobre o tema e conversas com amigos deixaram a ideia do desenvolvimento ágil morna na mente por um bom tempo.

time-cinbesaEm 2011, nossa equipe, que era composta de quatro pessoas, foi reduzida para dois técnicos. Quem ficou, chegou à conclusão que deveríamos fazer diferente para atender as demandas e começamos a fazer entregas pequenas. Com críticas boas e ruins, fomos realizando o trabalho. Colocamos no papel o que tínhamos que fazer, priorizávamos com nossos critérios e íamos trabalhando.

Antes, cada desenvolvedor cuidava de um projeto. A partir desse momento, passamos a cuidar de todos. Organizamos nosso tempo para trabalhar meio período em cada projeto, dois dias na semana por projeto, revezando entre eles e entregando pouco. Com essas entregas, começou o feedback positivo.

Em 2012, a Cinbesa contratou Fábio Aguiar que viu nosso esforço e encontrou um terreno fértil para colocar os métodos ágeis em prática.

Iniciamos um novo projeto, backlog-semobconstruimos um Backlog, priorizamos, estimamos, definimos Sprints, fizemos tudo certinho. No final, a primeira Sprint não foi bem sucedida. Veio a segunda, a terceira, quarta e o resultado não aparecia.

Começamos a focar na princípio do desenvolvimento ágil (entrega frequente, software funcionando, mudança são bem vindas, indivíduo, colaboração com cliente e cooperação constante), nos fazendo entender a essência da agilidade.

As Sprints começaram a ser concluídas com sucesso. Uma após a outra. Mas ainda faltava algo, a melhoria contínua.

Quando a coisa começou a melhorar, passamos para um projeto de verdade. Um cliente da prefeitura mesmo. Colocamos o cliente junto com o time de desenvolvimento, acompanhando, avaliando, redefinindo e melhorando.

O primeiro projeto com métodos ágeis teve elogio do chefe e do cliente. Passamos para o segundo e terceiro. Sucesso total!

backlog-sissegNesse meio tempo, Fábio foi cuidar de outro time dentro da Cinbesa. Passamos a fazer o trabalho sem o nosso facilitador. As Sprints começaram a afundar e começou a bater o desânimo.

O time começou a discutir bobagens técnicas para justificar atrasos e falhas. O diretor percebeu que nós estávamos perdendo o foco e começou a cobrar demandas isoladas para cada técnico e tudo estava voltando para a estaca zero.

Pedimos novamente o auxílio do Fábio. Voltamos com força total… Inspecionando e adaptando, foco no ROI, provocando o aprendizado contínuo, comprometendo-se com a entrega, evidenciando os pontos fortes e trabalhando muito nos pontos fracos. Com isso, melhoramos e voltamos para a trilha.

Acho que só dá para ter um time ágil com pessoas que gostam do que fazem. E nós gostamos da experiência do ágil. cintechday-2014Passamos a estudar mais, compartilhar mais entre as equipes dentro da empresa.

No final de 2014, fizemos um evento interno chamado CintechDay só para trocar experiências. Temos muita gente boa dentro da Cinbesa e nem sabíamos até seis meses atrás.

Agora, todo dia trabalhamos para manter a nossa trilha sempre de olho nos valores:

  • Indivíduos e interação entre eles mais que processos e ferramentas
  • Software em funcionamento mais que documentação abrangente
  • Colaboração com o cliente mais que negociação de contratos
  • Responder a mudanças mais que seguir um plano

Vamos começar a acrescentar mais em nossa experiência. Programação em par, Automação de Testes e Revisão de Código são algumas coisas que estamos nos aventurando agora.

Para concluir quero agradecer especialmente a Fábio Aguiar, que mesmo depois de deixar a Cinbesa ainda nos orienta e apóia com toda a sua experiência. Valeu Fabio!

É apenas um pequeno relato de como todo esse movimento ágil começou no nosso meio. Quando tiver mais novidade volto pra contar.

Abraço!

Anúncios

Um comentário sobre “Caso Cinbesa – Implantação de Ágil em Empresas Públicas

O que tu achas?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s